Método de Stanislavsky

Embora o nome de Constantin Stanislavsky seja amplamente conhecido no Brasil, a verdaderia PRÁTICA stanislavskiana permanece virtualmente inexistente em nosso país.

Por décadas de sua vida, Stanislavsky pesquisou e desenvolveu técnicas que pudessem possibilitar ao ator e ao diretor performances realmante verdadeiras, únicas e surpreendentes nas quais a audiência pudesse de fato acreditar.

Também por décadas, Stanislavsky repudiou e combateu com afinco todo tipo de cliché teatral, gestos mecânicos, a fala artificial e gritada, a movimentação exagerada, a “marcação de cena” automatizada e um texto simplesmente decorado porém vazio de sentido, com dialogos condicionados roboticamente às “deixas”.

Stanislavsky buscava um tipo de ator capaz de se metamorfosear em cada novo papel e um diretor capaz de orientá-lo para tal.

Após anos de batalhas, estudos e trabalho, seu conjunto de técnicas acabou sendo adotado pelos maiores atores e diretores da História contemporânea, comprovando-se repetidas vezes como a abordagem mais complexa e eficaz no universo das Artes Dramáticas.

Desses apontamentos originais surgiram ainda variações, evoluções, contribuições técnicas e adaptações igualmente fabulosas desenvolvidas por outros grandes atores e diretores (em sua maioria discípulos diretos ou indiretos do próprio Stanislavsky) como a “Técnica Chekhov”, “Técnica Meisner” , “Técnica Adler” ,o “Método de Lee Strasberg” e por aí afora.

O conjunto de todas essas técnicas e ferramentas cênicas acabou sendo batizado genericamente de “Método”, “Sistema”, ou ainda, “Método das Ações Físicas”, e, pelas mais variadas e curiosas razões, nunca chegou de modo adequado e completo ao solo brasileiro.

A Companhia Teatralizando  nasceu justamente para preencher essa lacuna, oferecendo aos atores e diretores deste país, pela primeira vez, todo esse complexo sistema técnico (bem como todas as outras técnicas que dele derivaram) de maneira regular.

Aqui, não se ensina “talento”, mas sim técnica e disciplina. Aqui, não estimulamos a vaidade nem a competição entre atores e diretores, mas sim o respeito mútuo e o amor por nosso ofício.

————————————————————————————————————————————-

Constantin Stanislavski  nasceu na cidade de Moscou em 5 de Janeiro de 1863 e desde muito cedo teve seu primeiro contato com o mundo das artes. Vindo de uma família de comerciantes abastados, seu pai construiu um pequeno teatro dentro de sua própria casa, onde haviam apresentações de peças para o seleto grupo de amigos da família, bem como encontros de intelectuais conhecidos da época.

Aos 25 anos, Stanislavski passa a ser um dos fundadores, junto com Fiédotov dentre outras personalidades, da Sociedade Literária de Moscou, pois havia a necessidade de um estudo  mais aprofundado sobre a arte teatral. Apesar de lhe ter proporcionado certo destaque como ator e diretor, este empreendimento já não lhe era mais suficiente, pois a falta de autonomia financeira o estava levando a arcar do próprio bolso com as despesas, fazendo com que deixasse a sociedade.

Quase dez anos mais tarde, após inúmeras trocas de correspondências com o escritor e professor Vladímir Dântchenco, no dia 22 de junho de 1897 ocorre um encontro histórico que influenciaria até os dias de hoje o teatro mundial. Stanislavski e Dântchenco resolvem fundar o Teatro de Arte de Moscou, do qual tem como objetivo a busca de uma unidade teatral, inovando na forma de interpretação dos atores e proporcionando à platéia uma apresentação da realidade nos palcos, quebrando paradigmas pré-impostos, baseando-se em sérios e aprofundados estudos sobre expressão corporal, vocal e técnicas de preparação do ator. Sua vontade não se limitava a querer construir um sistema com verdades absolutas, mas sim criar a acessibilidade aos atores, indagá-los a respeito da capacidade de cada um e de como o trabalho do ator era capaz de atingir o público.

Dentre os vários métodos experimentados neste local, alguns deles foram levados mais afundo, resultando em uma série de exercícios e técnicas dos quais foram chamados mais tarde de “Sistema”, por Constantin Stanislavski.

Após sofrer um ataque cardíaco no ano de 1928, Stanislavski deixa de atuar e passa a se dedicar apenas à direção e formação de atores e diretores. Ele permanece por muito tempo relutando em escrever um livro que pudesse eternizar seus métodos e inspirar outros artistas, mas uma amiga americana chamada Elizabeth Hapgood juntamente com seu marido Norman Hapgood, conseguiram convencer Stanislavski a publicar seu primeiro livro, A Preparação do Ator, em 1936 com tradução em inglês feita pela própria Elizabeth, do qual enfatiza o trabalho interior do ator.

Stanislavski morre no dia 7 de agosto de 1938, na mesma cidade onde nasceu, Moscou, deixando como legado seus métodos, mais tarde publicados em 7 volumes com tradução em inglês, espanhol, francês, italiano, russo e português e em diferentes títulos.

Anúncios